[R.I.P.] Daregnim Hafgrey

Ir em baixo

[R.I.P.] Daregnim Hafgrey

Mensagem por E. Casati em Sab Jun 02, 2018 4:37 am

R.I.P.
Morreu carbonizado por bolas de fogo conjuradas por cultistas do Culto da Chama Eterna enquanto tentava invadir o templo do fogo abaixo do monastério nas Sumber Hills.

Aperta o play.



O Clã Hafgrey não é muito conhecido. Já foi um grande clã, mas poucas pessoas fora do clã ainda lembram do seu nome, muito menos sua história. Na verdade, nos tempos atuais, sequer poderia ser chamado de "Clã", sendo composto por apenas cerca de uma ou duas dúzias de anões dourados que habitam principalmente o Vale Dessarin e outras partes da Costa da Espada. Mas nem sempre foi assim...

Originalmente, na época do Império Delzoun, o Clã Hafgrey habitava algumas colinas mais ao sul do território do império, principalmente nas Colinas Dessarin. Não faziam parte do império, mas eram seus aliados. Era um clã peculiar, pois abrigava famílias de anões dourados e anões cinzentos, um dos poucos casos na história do povo anão. Por esta razão era um clã mais diverso e versátil que os demais. Ao mesmo tempo que eram excelentes artesãos (especialmente no trabalho com minérios e gemas) e guerreiros resolutos, como era comum para os anões dourados, eram também grandes eruditos e estudiosos do arcano, como era comum aos duergar. A mistura das duas culturas forjou um clã único, mas o que era sua maior qualidade, se provou também ser sua ruína. Pois, ao mesmo tempo que as qualidades dos dois povos anões eram somadas, a ganância, traço comum entre todos os anões, mas ainda mais forte entre os duergar, era fortalecida entre os Hafgrey.

O Clã era governado por um conselho composto por três anões: o mais velho dos anões dourados, o mais velho dos anões cinzentos, e o Ancião da Forja, geralmente o sacerdote dos Morndinsamman mais proeminente no clã (geralmente também o mais velho). E, certa vez, a ganância ganhou espaço demais entre o Conselho, e, talvez pela influência maligna de Deep Duerra, ou pela própria cobiça natural dos anões, uma inveja do Império Delzoun criou raízes no clã e se espalhou de maneira insidiosa. E os Hafgrey traíram sua aliança com Delzoun e atacaram fortalezas menores do império mais ao sul. Diante daquele insulto Delzoun fez sua retaliação, e os Hafgrey foram massacrados. O clã teve pouca chance contra a força imensa que era o Império naquela época. Seus números foram aniquilados, suas fortalezas destruídas, sua história quase apagada para sempre. Poucos sobreviventes restaram, um ou outro anão dourado que se arrependeu diante dos martelos e machados do Império, ou mesmo aqueles poucos que não tomaram parte na revolta. Foi permitido a eles reter seu status como Clã desde que fizessem um juramento sagrado de lealdade e para sempre se tornassem servos de Delzoun (e, por conta deste juramento ancestral, muitos Hafgrey se apresentaram diante de Bruenor Battlehammer na recente retomada de Gauntlgrym, e o consideram seu novo soberano). Mas, com a queda do Império, para estes anões restara apenas a tarefa impossível de manter vivo o seu Clã moribundo, enfrentando não só o ódio e preconceito dos anões e demais povos do norte, mas também o estigma daquela traição, e seu sangue agora considerado maculado pelo parentesco com os traiçoeiros duergar.

Mas mesmo diante destas dificuldades o clã se recusou a abandonar suas tradições e renegar seu passado e parentescos. E, com tão poucos membros restantes, uma nova tradição foi criada: a partir daquele momento cada filho do clã deveria se tornar um ferreiro, pedreiro ou lapidário habilidoso. Além disso, todo filho mais velho de um casal Hafgrey deveria se tornar um guerreiro e sacerdote dos Morndinsamman, o filho seguinte deveria estudar para ser um erudito e mago, e os demais filhos seriam livres para perseguir quaisquer caminhos dentro das tradições do clã.

Séculos se passaram e nunca o clã conseguiu se reconstruir. Não só pelos raros casamentos e nascimentos, mas também por todas as crises e desgraças que se abateram sobre o povo anão na Costa da Espada. Alguns Hafgrey dizem, ainda, que o próprio Moradin amaldiçoou o sangue do clã, impedindo que retomassem sua glória.

E foi assim que Daregnim, filho único de Dareg, o Forte, um paladino de Gorm Gulthyn, e Torebolda, uma sacerdotisa de Dugmaren Brightmantle, recebeu do destino o fardo de honrar a tradição de seu clã de forma dupla. Torebolda pereceu após o parto, e Dareg era demasiadamente leal à sua esposa, e se recusou a casar novamente por toda sua vida. Dessa forma, assegurou que seu filho seguisse os dois principais caminhos de seu clã: batalhar para receber a bênção de se tornar um servo dos Morndinsamman e também estudar e adquirir o conhecimento arcano de seu clã, e manter sua história viva.

Mas embora Daregnim tenha cumprido sua tarefa mais básica e aprendido os ofícios de ferreiro e pedreiro, e recebido a ordenação como um sonnlinor e um cruzado dos Martelos de Moradin, sua herança duergar falou mais alto, e ele demonstrou uma habilidade incomum para a conjuração arcana e a erudição. Embora seu coração ansiava por combater os inimigos do povo anão, e se aprofundar mais ainda na fé do Pai de Todos e aprimorar suas habilidades de combate, a cultura e tradição de seu clã enfatizavam o pragmatismo. Logo, o caminho correto a percorrer era dedicar mais tempo em aprimorar sua habilidade natural. Portanto, passou os anos seguintes aprimorando suas habilidades arcanas. Porém sua sede por batalha é refletida em suas magias arcanas, e seu grimório é quase todo preenchido por feitiços úteis em combate direto, como barreiras de proteção ou fogo destrutivo. Daregnim vê pouca utilidade em magias mais sutis, e portanto as estuda com muito menos afinco.

Hoje um membro da Ordem da Manopla, Daregnim vaga pelo Vale Dessarin a procura de batalhas justas para lutar em defesa do bom povo do vale, enquanto continua a busca pela história de seu clã e do povo anão, e tenta manter vivas as tradições do Clã Hafgrey.

Aparência: Daregnim tem a pele marrom escura, traço ainda mais evidenciado pelo bronzeamento de anos vagando ao relento. Seus olhos são cor de avelã, com um brilho profundo denotando a sabedoria e perspicácia dos anos que já viveu. Seu cabelo e barba são grisalhos, um traço de envelhecimento precoce que o faz aparentar ser muito mais velho do que realmente é. Embora tenha vivido noventa e dois invernos, ainda está longe de ser um ancião de sua raça. Exibe um nariz torto e proeminente, quebrado muitas vezes. Uma cicatriz profunda atravessa seu nariz de lado a lado, além de outras cicatrizes menores espalhadas pelo rosto, e possui um anel de ouro puro cravado entre suas narinas. Não possui quase nenhum cabelo restante na cabeça, e por isso suas várias tatuagens rúnicas são bastante visíveis nesta parte do corpo. Está sempre acompanhado de sua armadura pesada de aço polido, e um manto de pele de urso que ele mesmo fez. Tem uma constituição atarracada e robusta, sendo mais baixo que a maioria dos anões.

Personalidade: Daregnim tem um bom humor recatado, e não é carrancudo como a maioria dos anões. Por ter vivido uma vida quase inteira de dever e trabalho, ele gosta de desfrutar dos raros momentos de prazer que encontra, embora os experimente com parcimônia, pois ainda coloca seu dever com seu clã acima de tudo. Gosta de uma boa prosa, especialmente com frequentadores das estalagens e tavernas do Vale Dessarin. É bastante focado no que faz e pensa e age de maneira pragmática, como seu povo e seu clã. A história de seu clã o ensinou a ser justo e leal, e ele tenta cumprir este ensinamento ao melhor de suas capacidades. Ele é orgulhoso de sua herança, e ávido em provar o valor de seu povo. Este orgulho muitas vezes se mostra em uma maneira temerária de lutar.

Race, Class: Hill Dwarf, Cleric (Forge Domain) 1/Wizard (War Magic) 2
Background: Knight of the Order (Hammers of Moradin)
Alignment: Lawful Good
Personality Traits:
• I'm always respectful and polite.
• I approach problems head-on. A simple, direct course is the best path to a solution.

Ideals:
• Responsibility: I do what I have to and follow just authority. (Lawful)

Bonds:
• It is my duty to provide children to sustain my clan.

Flaws:
• My hatred of my foes is blind and unreasoning.

_________________
Hunting Grounds: Chapel Hills
uma crônica de Lobisomem: os Destituídos.

Appalachian Moonrise
uma crônica de Lobisomem: o Apocalipse.

Legado e Traição
uma mini-campanha de Lenda dos Cinco Anéis 4e.
avatar
E. Casati
Orc Slayer

Mensagens : 41
Data de inscrição : 14/12/2016

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum